A dependência química é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após o uso repetido de determinada substância.

A dependência pode dizer respeito a uma substância psicoativa específica (por exemplo, o fumo, o álcool ou a cocaína), a uma categoria de substâncias psicoativas (por exemplo, substâncias opiáceas) ou a um conjunto mais vasto de substâncias farmacologicamente diferentes.

O que causa a dependência química?

A dependência química é uma doença crônica e multifatorial. Isso significa que diversos fatores contribuem para o seu desenvolvimento, incluindo a quantidade e frequência de uso da substância, a condição de saúde do indivíduo e fatores genéticos, psicossociais e ambientais.

Fatores de risco

Determinadas características ou situações podem aumentar a probabilidade de surgimento e/ou agravamento de problemas com o álcool e outras drogas. Essas situações são conhecidas como fatores de risco. Entre eles, pode-se destacar a genética, transtornos psiquiátricos (ex: transtornos de conduta), falta de monitoramento dos pais, disponibilidade do álcool e drogas, etc.

Quais os sintomas de dependência química?

Os principais sintomas são o desejo incontrolável de usar a substância, a perda de controle (não conseguir parar depois de ter começado), aumento da tolerância (necessidade de doses maiores para atingir o mesmo efeito obtido com doses anteriormente inferiores ou efeito cada vez menor com uma mesma dose da substância), entre outros.

Quando a pessoa, quando dependente química, tem crises de abstinência do vício, pode sofrer sintomas como a sudorese extrema, tremores, ansiedade profunda e depressão.

Quanto tempo leva para eu me tornar dependente a uma droga?

Se tornar dependente de uma droga é um processo que pode ser bastante rápido e depende muito do tipo de droga, da idade em que se começa o uso e de uma propensão genética ou não de se tornar dependente mais facilmente.

Drogas como o crack ou a heroína, por exemplo,  podem causar dependência desde os primeiros usos.

Sabe-se que quanto mais cedo se começa a usar drogas, maior é a chance de se tornar dependente. Pessoas que têm familiares que são dependentes também têm maior tendência a se tornarem dependentes.

Mas “tal” droga não causa dependência! E se eu conseguir controlar?

Muitas pessoas acreditam que são capazes controlar o uso de uma droga, usando-a só esporadicamente. No entanto, esta é uma ideia completamente falsa. A cada exposição à droga, o usuário está correndo o risco de perder o controle e de se tornar dependente (não há nenhuma regra para o momento exato em que isso pode acontecer).

É impossível de avaliarmos nosso risco genético de nos tornarmos dependentes por conta própria. Desconhecendo este risco, fica impossível saber quem irá usar a droga e se tornar dependente e que não irá se tornar dependente (sim, também existem esses casos, mas como saber se você é um deles? Vale a tentativa de arriscar a sua vida?).

Lembrando que a exposição repetida, a precocidade do início do uso de drogas, alguns fatores sociais, genéticos e pessoais podem facilitar o desenvolvimento da dependência.

Dependência química não é uma questão de simples força de vontade.
Falar sobre o assunto é importante, e fazer isso em um ambiente seguro e profissional é de extrema importância.

Abrir chat
1
Precisa de Ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?
Powered by